Calendário da Sétima Parcela do Auxílio Emergencial: Confira as datas!

As datas do Calendário da Sétima Parcela do Auxílio Emergencial já podem ser conferidas.

Veja os dias do crédito e saque, além de outras informações sobre o benefício.

Publicidade

Continue esse texto e confira as datas do Calendário da Sétima Parcela do Auxílio Emergencial.

Calendário da Sétima Parcela do Auxílio Emergencial: Quando recebo?

A programação para o pagamento do Calendário da Sétima Parcela do Auxílio Emergencial está definido da seguinte forma.

Datas para crédito na Poupança Digital de acordo com mês de nascimento:

  • Janeiro – 20/10
  • Fevereiro – 21/10
  • Março – 22/10
  • Abril – 23/10
  • Maio – 23/10
  • Junho – 26/10
  • Julho – 27/10
  • Agosto – 28/10
  • Setembro – 29/10
  • Outubro – 30/10
  • Novembro – 30/10
  • Dezembro – 31/10.

Datas para saque em dinheiro de inscritos no Site/app do CadÚnico de acordo com o mês de nascimento):

Publicidade

  • Janeiro – 01/11
  • Fevereiro – 03/11
  • Março – 04/11
  • Abril – 05/11
  • Maio – 09/11
  • Junho – 10/11
  • Julho – 11/11
  • Agosto – 12/11
  • Setembro – 16/11
  • Outubro – 17/11
  • Novembro – 18/11
  • Dezembro – 19/11.

Já os beneficiários que participam do Bolsa Família têm calendário diferente, que basicamente segue o cronograma normal dos seus recebimentos.

Datas para quem recebe o Bolsa Família de acordo com o dígito final NIS:

  • 1 – 18/10
  • 2 – 19/10
  • 3 – 20/10
  • 4 – 21/10
  • 5 – 22/10
  • 6 – 25/10
  • 7 – 26/10
  • 8 – 27/10
  • 9 – 28/10
  • 0 – 29/10.

As pessoas que se inscreveram nas plataformas do programa usam o Caixa Tem para realizar as transações de forma antecipada.

Após mais de um ano de programa, o Auxílio Emergencial chega ao fim.

Publicidade

O benefício que começou a ser pago em abril de 2020, agora em outubro de 2021 terá sua última parcela creditada.

O formato do projeto passou por diferentes versões que geraram polêmicas entre os poderes da república e a sociedade civil.

Um dos quesitos dos mais controversos durante o pagamento desse auxílio sempre foi o valor de cada parcela.

Em 2020 o Governo Federal pagou, inicialmente por 5 meses:

  • R$ 600,00 ou R$ 1.200,00 para mães chefes de família
  • R$ 300,00 ou R$ 600,00 pagos por mais 3 meses.

Em 2021, os valores foram reduzidos, tanto na retomada do programa quanto na sua extensão:

  • R$ 150,00 – valor pago para 1 beneficiário
  • R$ 250,00 – valor pago para casais que se enquadram nas regras do benefício, ou para até 2 integrantes de uma família
  • R$ 375,00 – novo valor para mães que são chefes de família (sem cônjuge ou companheiro) e responsável por menores de 18 anos.

Para os beneficiários inscritos via site ou aplicativo, os valores são creditados na poupança digital criada pela Caixa Econômica Federal.

Aqueles que são do Bolsa Família, recebem na conta específica deste programa

calendário da sétima parcela do auxílio emergencial

Quem pode receber e quem não pode receber o Auxílio Emergencial?

A sétima parcela do Auxílio Emergencial está liberada para pessoas que foram aprovadas no início do programa.

Os beneficiários são aquelas pessoas que recebem o benefício desde 2020.

Elas devem continuar atendendo os quesitos básicos, que são:

  • Não ter vínculo empregatício formal (pode ser trabalhador informal)
  • Ser MEI (Microempreendedor Individual)
  • Ter renda familiar mensal de até 3 salários
  • Ter renda familiar per capita de meio salário
  • Ser autônomo, mas que contribua com o INSS.

Não terá direito pessoas que:

  • Estejam trabalhando com carteira assinada
  • Seja menor de 18 anos (exceto as mães adolescentes)
  • Sejam aposentados ou pensionistas do INSS, bem como aqueles que recebem algum benefício beneficiário
  • Ter sido declarante do Imposto de Renda em 2019, e que tenha ultrapassado o limite de R$28.559,700 acumulados em rendimentos tributáveis
  • Ter sido declarante do Imposto de Renda em 2019, na categoria rendimentos isentos ou não tributáveis acima de 40 mil reais
  • Se em dezembro tinham propriedade ou bens de direito com valores acima dos R$300.000,00
  • Entraram na declaração de imposto de renda 2019 como dependente (cônjuge, filho ou enteado)
  • Esteja preso ou em regime de reclusão
  • Ficou inelegível em versões anteriores do Auxílio
  • Não usou os valores depositados anteriormente na conta poupança digital
  • Receba bolsa estudo, principalmente de entidades ligadas à União
  • Mora fora do país e descumpre regras do programa.

Serão 3 parcelas que começaram a ser creditadas em agosto e seguem até outubro.

O saque para alguns beneficiários tem prazo até novembro.

Basta conferir o Calendário da Sétima Parcela do Auxílio Emergencial e quando os valores forem creditados para fazer pagamentos e transferências.

Aproveite e acompanhe mais artigos no nosso blog!